Qualidade de carne do gado Angus

confinamento 1 768x432 - Qualidade de carne do gado Angus

A genética do gado Angus ganha destaque no exterior por garantir carne de qualidade.

“Há 20 anos não se falava em programas de qualidade de carne bovina, muito menos havia melhores remunerações por qualidade de carcaça aos pecuaristas. Hoje, vivemos uma nova pecuária, cuja cadeia produtiva está preparada para o abate de animais muito jovens, em torno de 16 meses de idade, com 20 arrobas de peso bem distribuído e carne com boa presença de marmoreio.”

A análise é do presidente da VPJ Alimentos, Valdomiro Poliselli Jr, premiado pela segunda vez como melhor produtor de carne de qualidade do Brasil na BeefExpo, o maior evento indoor da cadeia da carne bovina na América Latina.

De acordo com Valdomiro Poliselli Jr, muito desse sucesso passa pela raça Angus. “De origem britânica, mas radicada na pecuária brasileira por muitas décadas, é reconhecida internacionalmente pela sua qualidade de carcaça e precocidade de terminação, bem como a incrível maciez, sabor e suculência dos cortes produzidos. A carne Angus tem sinônimo de qualidade”, avalia. Ponto para o Programa Carne Angus Certificada, que alinhou fortes parcerias com os principais frigoríficos do País e ainda garantiu a possibilidade de os pecuaristas receberem bonificações acima de 12% da cotação convencional da arroba do boi gordo. “E tal consolidação levou a uma corrida frenética por genética Angus”, acentua o presidente da VPJ Alimentos.

carne angus 2 credito eduardo rocha - Qualidade de carne do gado Angus

Além disso, segundo Valdomiro Poliselli Jr, países como a Turquia compraram mais de 80 mil bezerros, recentemente, de algumas fazendas brasileiras e todos nascidos do cruzamento entre as raças Angus e Nelore, o casamento perfeito para a produção de carne de qualidade. Ele acrescenta que este modelo de exportação de desmama cruza Angus tende a crescer muito no País. “Os preços do gado Angus dispararam. O quilo vivo de um bezerro desmamado F1 (meio-sangue Angus x Nelore) já corteja os R$ 6,50, muito superior ao de qualquer outro bovino puro ou cruzado”, diz.

Poliselli Jr salienta que na década de 1990, a esmagadora maioria dos produtores desconhecia sobre o melhor uso de uma novilha F1. “Atualmente, seu aproveitamento é otimizado. Pode ser encaminhada à reprodução, como matriz, ou ao abate, proporcionando uma carne rica em gordura Ômega 3, fato comprovado cientificamente. Estima-se que existam cerca de 3 milhões de cabeças no rebanho nacional. Angus é propaganda no sanduíche, na churrascaria, nos restaurantes e na gôndola dos supermercados. E o pecuarista brasileiro já descobriu este diferencial.

Fonte: Diário da Amazônia

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *