Primeira estimativa do ano indica que produção de grãos será 4,2% maior

agricultura 1 768x432 - Primeira estimativa do ano indica que produção de grãos será 4,2% maior

A produção de grãos em 2018/19 deverá totalizar 237,3 milhões de toneladas, uma alta de 4,2% sobre a safra anterior, ou acréscimo de 9,5 milhões de tons.

Os dados são 4º levantamento da safra de grãos, o primeiro do ano divulgado hoje (10), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Segundo a Conab, a área plantada com grãos também será maior na atual temporada, totalizando 62,5 milhões de hectares, um aumento de 1,2%, em relação com a safra 2017/18.

A soja continua como principal cultura do País, com projeção de crescimento de 1,7% na área de plantio e redução de 0,4% na produção, atingindo 118,8 milhões de toneladas, e o milho primeira safra, que teve aumento de 0,4% na área a ser cultivada que deve resultar em uma produção de 27,5 milhões de t.

Com este desempenho, a expectativa é que o produto tenha um desempenho 12,9% superior à obtida em 2017/18, registrando uma produção de 91,2 milhões de toneladas, quando somadas as duas safras do grão.

A Conab também destaca a produção de algodão brasileira, com uma concentração do plantio em janeiro e um crescimento superior a 25,3% na área e 20,3% na produção. Outro bom resultado pode ser encontrado na primeira safra do amendoim, que pode chegar a 551,7 mil t, com um aumento de 10% em relação à safra passada.

Por outro lado, o arroz deve ter uma colheita 7,1% menor que a safra passada, ficando em 11,2 milhões de t, e o feijão primeira safra também apresenta uma queda de 7,7% na área em relação à safra passada e produção estimada em 1,1 milhão de t.

Safra de inverno – Com o fim da safra das culturas de inverno (aveia, canola, centeio, cevada, trigo e triticale), a Conab identificou resultados melhores do que na safra passada, mesmo com as adversidades climáticas nas principais regiões produtoras. A produção de trigo ficou 27,3% superior à safra anterior, chegando a 5,4 milhões de toneladas.

Fonte: DATAGRO

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *