Ministra Tereza Cristina destaca sustentabilidade do setor de couro brasileiro

boi gordo Giro Rural 768x432 - Ministra Tereza Cristina destaca sustentabilidade do setor de couro brasileiro

Durante participação na Expointer, uma das mais importantes feiras agropecuárias do Rio Grande do Sul, realizada em Esteio, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, destacou que o setor brasileiro de couro é sustentável.

Por isso, segundo ela, a suspensão da compra do produto por importadores será por pouco tempo, devendo ser solucionada da melhor maneira possível.

“Essa suspensão não foi definitiva. Temos que ter muito cuidado. Acho que o setor de couros do Brasil é sustentável, é um setor que tem muito a informar a essas indústrias”, disse a ministra durante conversa com os jornalistas na Expointer.

Ela disse que o momento é de cautela e de buscar entender o que os importadores querem de informação para poder esclarecer e resolver o problema da melhor forma possível.

A ministra Tereza Cristina comentou que a suspensão causa prejuízo à imagem do Brasil, mas existe um certo exagero na maneira como o País é apresentado ao exterior.

“Se nós ficarmos aumentando o tom dessa conversa, teremos ainda mais prejuízo. Ou é interessante ficarmos alimentando coisas que não são verdadeiras?”, questionou ela.

De acordo com a ministra, é preciso mostrar a realidade. “O que nós temos de mazelas já estamos resolvendo”, destacou Tereza Cristina acrescentando que o governo federal enviou tropas das Forças Armadas para coibir o ilegal e o ilícito na Amazônia.

Suspensão de compras de produtos da região da Amazônia

Há poucos dias importadores suspenderem as compras do couro do Brasil e solicitaram esclarecimentos sobre a procedência da matéria-prima ao setor no País por causa do avanço das queimadas na região da Amazônia.

A VF Corporation, detentora de marcas como Timberland, The North Face, Kipling e Vans, emitiu uma nota onde informou sua decisão de não seguir fazendo uso do couro e curtume do Brasil para os negócios internacionais, enquanto não houver segurança e garantia de que os materiais usados nos produtos da empresa não contribuam para o dano ambiental no País.