Mais de 5 milhões de animais foram eliminados por causa da peste suína

peste suina china giro rural 768x432 - Mais de 5 milhões de animais foram eliminados por causa da peste suína

A peste suína que está assustando o continente asiático já foi responsável pela eliminação de 5.179.223 suínos. A informação é da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Os animais precisaram ser eliminados porque estavam contaminados e poderiam propagar a contaminação nos países asiáticos com peste suína africana (ASF).

Os dados alarmantes representam um incremento de 310.068 animais em uma comparação com o levantamento anterior da FAO, divulgado no dia 8 de agosto.

Esse número pode ser ainda maior neste momento, porque os dados foram atualizados na última quinta-feira (15). De acordo com a organização, o balanço apresentou informações extraídas dos órgãos federais dos países asiáticos.

A FAO informou também que a revisão no número de suínos eliminados por causa da infecção com o vírus se deve especialmente à elevação na quantidade de casos encontrados no Vietnã, que subiu de 3,7 milhões para 4 milhões de animais, sendo considerada a pior condição em relação ao volume de animais encaminhados ao abate sanitário.

De acordo com o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural local, 62 províncias foram atingidas pela epidemia, desde o primeiro caso da doença, registrado no dia 19 de fevereiro.

A organização divulgou ainda que foram identificados sete novos focos da doença no continente asiático. Destes, cinco foram informados na China e dois em Mianmar.

Com os dados atualizados, a FAO acredita que 245 focos da doença estão espalhados pela Ásia, sendo que antes esse número era de 238. A China vive a situação mais complicada, em termos de extensão, com 154 focos em 32 províncias. Os números incluem a região administrativa de Hong Kong.

Desde quando foi identificado o surto, em agosto de 2018, 1,17 milhão de suínos precisaram ser eliminados, segundo informou o Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China.

Outro caso crítico é o da Coreia do Norte que permanece com um foco da doença identificado, desde o dia 23 de maio. Uma província foi afetada, resultando na eliminação de 77 animais.