fbpx

Fracassa tentativa da Faesp de reverter aumento no ICMS de insumos e produtos

Produção de soja nos EUA em 2020/21 é estimada em 114,17 milhões de t, diz USDA
Produção de soja nos EUA em 2020/21 é estimada em 114,17 milhões de t, diz USDA
A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) realizou, na terça-feira (5/1), no Palácio dos Bandeirantes, as últimas tratativas com o governo do Estado, na tentativa de reverter o aumento no ICMS de insumos e produtos agrícolas. Apesar das inúmeras tentativas de reverter o ajuste fiscal, o governo não se sensibilizou e manteve o aumento do ICMS, a partir do dia 15 de janeiro, informa a Faesp, em comunicado.
Por conta disso, a Faesp está apoiando o chamado “tratoraço”, uma manifestação promovida por produtores rurais em diversas cidades paulistas, que será realizado na quinta-feira, 7. Até o momento, mais de 100 sindicatos rurais além de cooperativas agrícolas, associação e entidades ligadas ao agronegócio já aderiram ao movimento. “E continuamos em negociação com o governo, esperando resultados positivos”, afirma.
A entidade esclarece que tem orientado os produtores rurais que aderirem às manifestações para que sigam os protocolos de combate à pandemia da covid-19 e as organizem em consonância com as diretrizes da Polícia Militar, para que os protestos sejam pacíficos e sem prejuízo dos demais cidadãos.
Um Comitê Especial foi criado dentro da Faesp para apoiar os produtores rurais nessa manifestação. A entidade destaca que elevar a tributação na atual conjuntura é inoportuno e prejudicial para a sociedade, pois acarretará custos de produção crescentes e encarecimento no preço dos alimentos para o consumidor final. “Os cidadãos comuns, em especial os mais necessitados, é quem pagarão essa conta”, conclui a Faesp.
Fonte: Portal DBO.