Exportações brasileiras para os países árabes crescem 20% de janeiro a abril de 2019

exportacoes brasil paises arabes recorde em abril 2019 768x432 - Exportações brasileiras para os países árabes crescem 20% de janeiro a abril de 2019

Receita das vendas externas mantém expansão e atinge US$ 4,1 bilhões no período, de acordo com estudo da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira

As exportações brasileiras para os países árabes atingiram a soma de US$ 4,13 bilhões nos primeiros quatro meses de 2019, o que representou crescimento de 19,9% em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo estudo da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira. De janeiro a abril, as importações também aumentaram, alcançando o total de US$ 2,2 bilhões, alta de 3,4% em relação a igual época de 2018.

O presidente da Câmara Árabe, Rubens Hannun, assinala que as vendas de produtos brasileiros para as nações árabes se diferenciam do resultado alcançado pela receita de exportação do Brasil com o mundo que registrou uma queda de 3% de janeiro/abril desse ano em comparação com mesmo período de 2018.

“O Brasil mantém um ritmo forte de suas exportações para o bloco árabe, ocupando a posição de terceiro maior mercado, atrás apenas da China e Estados Unidos”, afirma Rubens Hannun. “Enquanto as exportações globais caíram no início de 2019, expandimos as vendas para esses países em 20%”, acrescenta o presidente da Câmara Árabe.

No quadrimestre, a corrente comercial brasileira com as demais nações foi de US$ 127,4 bilhões, uma queda de 0,9% ante igual período do ano anterior, de acordo com dados estatísticos da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Tal valor é resultado de US$ 72,1 bilhões em receita de exportação e US$ 55 bilhões em importações, ficando a China responsável por 26,8% das vendas e por 23,2% das nossas importações.

Alguns analistas estimam que ao longo de 2019 o Brasil deverá ter saldos menores na balança comercial – atualmente o superávit comercial é de US$ 17 bilhões – em decorrência da expectativa da recuperação da economia nacional, que implica em um aumento de nosso consumo e de nossas importações.

Em contrapartida, a corrente de comércio entre o Brasil e os países árabes vem evoluindo ao longo dos últimos anos. Em 2018, os árabes foram responsáveis pelo destino de 4,8% das exportações e 4,4% do total das importações. Já no primeiro quadrimestre de 2019, tais indicadores passaram, respectivamente, a 5,7% e 3,9%, de acordo com a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira.

Os principais destinos árabes das exportações brasileiras foram os Emirados Árabes Unidos (US$ 1,03 bilhão), Arábia Saudita (US$ 656 milhões), Egito (US$ 505 milhões), Argélia (US$ 336 milhões) e Omã (US$ 304 milhões). Os Emirados Árabes Unidos e Omã se destacaram pelo aumento da receita de exportação, tendo o primeiro crescido 76% e o segundo 33% em relação a janeiro/abril de 2018.

Os principais produtos exportados pelo Brasil aos países árabes foram carne de frango, que gerou receita de US$ 792 milhões, representando alta de 12% em relação aos primeiros quatro meses de 2018, minério de ferro (US$ 625 milhões), açúcar (US$ 536 milhões), carne bovina (US$ 385 milhões) e veículos aéreos (US$ 322 milhões).


A carne bovina merece destaque, pois as vendas cresceram 20% no primeiro quadrimestre de 2019, o que reforça a grande capacidade de fornecimento do Brasil de proteína animal Halal. A soma das exportações de carne bovina e de aves tornam os países árabes o principal destino da exportação brasileira para o mundo nos primeiros quatro meses de 2019 frente a China e Japão.

Sobre a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira
A Câmara de Comércio Árabe-Brasileira representa 22 países árabes, foi fundada em 1952 e tem como missão aproximar comercialmente o Brasil dos países árabes, incrementando intercâmbios culturais e turísticos entre árabes e brasileiros. A entidade oferece diversos serviços de apoio ao comércio bilateral, como certificação de documentos, informações sobre mercados, traduções, eventos e workshops. Disponibiliza, também, o Espaço do Conhecimento Comercial, um centro de referência para pesquisas das relações entre o Brasil e os países árabes.

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *