fbpx

Egito agora pode enviar citros para o Brasil

Egito agora pode enviar citros para o Brasil
Egito agora pode enviar citros para o Brasil

São Paulo – O Brasil abriu seu mercado para frutas cítricas do Egito. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil publicou em 27 de abril uma decisão sobre o assunto no Diário da República. Este foi o único passo pendente no processo, conforme relatado pela ANBA no início de abril. Como resultado, a partir desta segunda-feira (4), existe uma autorização para o transporte de citros do Egito para o Brasil, de acordo com os requisitos acordados pelas autoridades egípcias e pelo Ministério da Agricultura do Brasil ( clique aqui para a decisão em português do Brasil ).

Os requisitos incluem um certificado de origem fitossanitário emitido pela Organização Nacional de Proteção Fitossanitária (ONPF) do Egito, declarando que os itens estão livres de 11 tipos de pragas, incluindo Brevipalpus Lewisi, Eutetranychus Orientalis e Aonidiella Citrina. O produto também deve ter sido submetido a tratamento a frio a 1,7 graus Celsius ou menos por 18 dias, para proteção contra o Bactrocera Zonata. De acordo com a decisão, as remessas estarão sujeitas a inspeção na entrada no Brasil.

No início de abril passado, o adido agrícola da Embaixada do Brasil no Cairo, Cesar Simas Teles, disse à ANBA que os egípcios planejam explorar os mercados de laranja, tangerina e cal do Brasil. O Egito tem um acordo de livre comércio com o Mercosul, segundo o qual uma tarifa de 2,5% é cobrada sobre os citrinos egípcios que entram no Brasil. De acordo com o cronograma de redução de tarifas do contrato, a taxa será nula a partir de setembro próximo.

“A abertura do mercado de citros do Brasil para o Egito é um passo muito importante. Validará a relevância do acordo Mercosul-Egito e ajudará a obter mais equilíbrio no comércio Brasil-Egito, que se aproxima do Brasil ”, disse à ANBA o secretário-geral da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Tamer Mansour. A Câmara realizou um estudo sobre o mercado brasileiro de frutas cítricas e o potencial do comércio com o Egito. o estudo foi disponibilizado às empresas membros da Câmara nos países árabes e ao governo do Egito.

Segundo Mansour, a Câmara Árabe planeja realizar eventos B2B online para encontrar e conectar compradores e vendedores e acelerar a entrada de citros egípcios no Brasil. O objetivo aqui é mostrar a capacidade do Egito e a qualidade de seus frutos. “No mês passado, o Egito ultrapassou a Espanha e se tornou o maior exportador de laranja do mundo”, afirmou o secretário-geral.