fbpx

China poderá perder 50% de seu plantel de suínos até o final do ano

china podera perder 50 de seu plantel de suinos ate o final do ano giro ruural 768x432 - China poderá perder 50% de seu plantel de suínos até o final do ano

Plantel de suínos: A China corre sério risco de ver o seu plantel de suínos cair 50% neste ano. Tudo por causa da peste suína africana, resultando na redução de cerca de 25% na produção de carne suína do gigante asiático em 2019. Para 2020 a tendência é continuar caindo entre 10% e 15%. O cenário foi projetado por Justin Sherrard, especialista em estratégia global de proteína animal do Rabobank, durante uma palestra realizada no Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura (Siavs).

O estrategista acredita que as perdas no plantel da China estejam entre 30% e 40%, mas pode chegar a 50% até o final do ano. Em números, as perdas na produção de carne suína no país para este ano devem chegar a 13 milhões de toneladas. “A China representa cerca de metade da produção global de carne suína”, disse Sherrard. Ele também destacou durante sua palestra que nas outras regiões produtoras do mundo, não existe tempo hábil para aumentar a produção de maneira significativa a ponto de preencher o déficit chinês.

Para o estrategista, os preços do suíno na China estão em níveis recordes negociados a 25 yuans/quilo. O recorde registrado anteriormente foi de 21 yuans/kg, dois anos atrás. Em algumas regiões da China, o preço está mais alto e com perspectiva de avançar mais. Os preços de carne bovina e de frango também registram níveis recordes. Sherrard acredita que, como consequência, a produção e o consumo de frango no país asiático para os próximos dois anos tenha um crescimento considerável.

Além dos problemas com os suínos, o estrategista faz um alerta relacionado aos perigos de biossegurança na avicultura chinesa. Isso pode acontecer, se pequenos produtores de suínos com baixos índices de segurança sanitária, resolverem migrar para a produção de frango.

Em um período mais longo, Sherrard prevê que o consumo de carne suína no gigante asiático tenha queda de cerca de 10% ou mais, dependendo da maneira como a doença venha a se desenvolver.