fbpx

Café registra crescimento de 9,8% na safra global. Brasil lidera com maior produção

Café registra crescimento de 9,8% na safra global. Brasil lidera com maior produção
Café registra crescimento de 9,8% na safra global. Brasil lidera com maior produção

O café segue forte na mesa e na economia mundial. A safra 2018/19 somou 174,5 milhões de sacas de 60 kg, o que significa um crescimento de 9,8% em comparação com o último período, quando a produção foi de 158,9 milhões de sacas. As informações são do Observatório do Café, um grupo de pesquisa sob coordenação da Embrapa, baseado no Sumário Executivo de agosto, com publicação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura.

De tudo o que foi produzido em 2018/19, o café da espécie arábica registrou a maior produção, 104 milhões de sacas, respondendo por 60% do total. O café robusta teve uma produção de 70,5 milhões de sacas. Em 2017/18, em todo o mundo foram produzidas 94,5 milhões de sacas de café arábica, além de 64,4 milhões de sacas de robusta.

O Brasil alcançou o melhor posto na produção mundial de café na safra 2018/19. O País produziu 61,6 milhões de sacas, o que representa 35,3% de todo o volume global. Atrás do Brasil está o Vietnã com 29 milhões de sacas, respondendo por 16,6% do que foi colhido no mundo. A Colômbia, que é considerado o país que produz um dos melhores cafés do mundo, ficou em terceiro lugar colhendo 14,3 milhões de sacas. Com essa produção foi responsável por 8,2% da safra mundial.

Os produtores de café do Brasil estão realizando uma mobilização para emplacar um programa governamental com potencial de sustentação dos preços no maior exportador global da commodity. O programa daria apoio direto a 10 milhões de sacas de 60 kg, o que representa um quinto da safra no Brasil de 2019. A ideia, defendida pela Frente Parlamentar do Café, prevê a implantação do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) na modalidade invertida.

Segundo o Conselho Nacional do Café (CNC), a medida é de grande valia quando as cotações globais oscilam perto de mínimas de mais de 13 anos, em meio a grandes safras. Através do Pepro Invertido, o produtor que vender o seu café por um valor acima de um preço de referência, poderá receber uma subvenção econômica por parte do governo. A medida estimularia o agricultor a segurar as vendas para receber o prêmio, resultando em um impacto de alta no mercado.