fbpx

Agricultura de precisão – a importância dos drones

Agricultura de precisão - a importância dos drones
Agricultura de precisão - a importância dos drones

Nas últimas, décadas a taxa de utilização da agricultura de precisão pelos agricultores brasileiros foi crescente. 

A agricultura de precisão pode ser resumida em:

“O emprego de tecnologias para a produção agropecuária em diversas fases do manejo. Baseando os seus preceitos no incremento da eficiência na utilização de insumos agrícolas, monitoramento do vigor e da produtividade. Bem como o monitoramento frequente para ocorrência de estresses bióticos e abióticos.”

Este cenário leva em consideração diversas etapas da produção agrícola. Podendo ser utilizado desde o preparo do solo, semeadura, manejo cultural até a colheita e armazenamento. 

Como os drones podem ser utilizados na agricultura?

A agricultura de precisão proporciona diversas opções para o produtor rural. Uma das mais faladas nos últimos anos é a capacidade de empregar medidas de manejo com base em imagens obtidas por drones (zangão, em inglês), aliados a construção de banco de dados com zonas de manejo pré-definidas. 

A detecção e identificação de pragas, doenças e plantas daninhas é crucial para a adoção de medidas de controle apropriadas na produção agrícola. Recentemente, pesquisas têm sido realizadas para desenvolver métodos ópticos inovadores, baseados em sensores acoplados a drones, para a detecção de estresses em plantas. 

Os drones destinados ao setor agrícola podem ser equipados com uma ampla gama de sensores, dentre eles, os sensores multiespectrais de alta resolução, os quais possuem capacidade para mapear grandes áreas com elevada acurácia e rapidez. 

Além disso, atualmente já é possível encontrar no mercado brasileiro empresas que realizam aplicações de defensivos químicos e liberação de agentes de controle biológico através dos drones.

Mapas de manejo gerados pelos drones

De acordo com o sensor acoplado ao drone, uma série de mapas podem ser criados, dentre eles podemos citar:

  • Mapa de vigor
  • Mapa de umidade do solo e/ou necessidade hídrica
  • Mapa para aplicações em taxa variável de defensivos.
  • Mapa de calor etc.

Os mapas de vigor são gerados através de índices de vegetação, sendo o NDVI (Normalized Difference Vegetation Index) e o NDRE (Normalized Difference Red Edge) os mais utilizados atualmente. Com eles, é possível identificar as regiões dentro de um talhão que, estão sob algum tipo de estresse, seja ele de origem biótica ou abiótica.

Em lavouras irrigadas, os mapas de necessidade hídrica são fortes aliados, pois demonstram com precisão quando e onde deve iniciar o fornecimento de água para a cultura.

Utilizando algoritmos avançados, mapas de aplicação em taxa variável podem ser gerados. Eles permitem ser carregados nos softwares de pulverizadores modernos, possibilitando uma grande economia de defensivos e combustível. Pois desta forma, só haverá deposição do produto onde for realmente necessário.

Os mapas de calor são gerados por sensores térmicos e permitem a visualização de áreas sob estresse hídrico.

Perspectivas futuras

Nas próximas décadas, estima-se que, cerca de, 80% de todos os drones comercializados no mundo, tenham como destino a agricultura.

Este cenário animador é movido pela necessidade incessante de aumento de produtividade. Neste sentido, os drones surgem com uma ferramenta, relativamente barata, para auxiliar os produtores no monitoramento e no manejo de suas lavouras.