fbpx

Acre abate mais de 104 mil bovinos em 3 meses e é o segundo estado com maior variação do país

Acre abate mais de 104 mil bovinos em 3 meses e é o segundo estado com maior variação do país
Acre abate mais de 104 mil bovinos em 3 meses e é o segundo estado com maior variação do país

Acre abate mais de 104 mil bovinos: O Acre fechou o primeiro trimestre de 2020 com uma das melhores variações de abate de bovinos do país, com 8,35 mil cabeças a mais comparando com o mesmo período do ano passado, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados nesta quarta-feira (10). Conforme os dados da pesquisa do IBGE, o estado abateu, no primeiro trimestre de 2019, 96.511 cabeças de gado. Já neste ano, o número foi para 104.861. A variação do crescimento é de 8,7%. O estado com maior aumento foi Santa Catarina

O presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf), José Francisco Thum, disse que a expectativa é de que continue crescendo ou pelo menos seja mantida a média durante o restante do ano. “Isso é uma média de 40 mil cabeças abatidas aqui no estado por mês e praticamente é um dos carros-chefes da economia hoje. E o governo contribuiu muito para esse acréscimo. Mas, também tem a sazonalidade, porque historicamente no Brasil sempre tem esse pico e o Acre teve esse aumento. Mas, nos outros estados é natural haver uma queda nos abates nesse período”, disse.

O presidente disse ainda que, caso estado se torne livre da aftosa sem vacinação, a tendência é que haja um volume maior de abate no segundo semestre deste ano. “Nós temos uma nova auditoria no mês de julho para tornarmos o Acre livre da aftosa sem vacinação para melhorar ainda mais essa situação, em virtude de que vamos poder abrir nosso mercado de carnes para a exportação para qualquer lugar do mundo”, contou.

Com esta variação o estado se destaca junto com Santa Catarina entre as 27 unidades da federação, já que na média nacional houve uma queda no abate, com 7,25 milhões de cabeças de bovinos. A queda foi de 8,5% em relação ao ano passado. Por outro lado, o abate de frangos no Brasil atingiu no primeiro trimestre um novo recorde na série histórica do IBGE, que remete a 1987, com 1,51 bilhão de cabeças abatidas, avanço de 5% na comparação anual e de 2,8% em relação ao trimestre imediatamente anterior.

O abate de suínos também obteve forte resultado nos três primeiros meses de 2020, atingindo 11,88 milhões de cabeças, recorde histórico para um primeiro trimestre. No ano a ano, a alta foi de 5,2%, embora na comparação com o quarto trimestre de 2019 seja verificada leve queda de 0,2%. Os dados do IBGE não apontam comparativos sobre o abate de suínos e frangos no Acre.

Fonte: G1